INCOMPLETA



Ansiava por ser completa.

Esta era sua meta.

Passara a vida inteira atrás de completar.

Fazia tarefas completas.

Exercícios completos.

Conversas completas.

No seu transbordar sentiu-se deixar.

A ruptura não lhe causou marcas, mas sim lhe fez esvaziar.

Na evanescência de sua fugaz existência propiciou sim liberdade na incompletude.

Imergiu neste submundo.

Da falta veio o reflexo de que o completo é o avesso do verbo. Final sem retrocesso.

O que falta no excesso faz nexo com a essência do ser no anverso que uma vez completo não pertence ao universo.





Imagem: @magdarebello_arts

Caneta,Lente&Pincel - rodada 96/invertida


© 2017 Cristina Fürst. All Right Reserved.