Meu WhatsApp minhas regras

Atualizado: 21 de Ago de 2019



Não me envie correntes. Se elas funcionassem não teria ninguém doente nem desempregado.

Nos grupos evite falar de política, futebol, religião e postar podcast de autoajuda. É muito chato. Provavelmente você não é um cientista político, seu time pode não coincidir com o meu, sua religião sinceramente não me interessa e quando preciso de ajuda procuro minha mãe ou meu terapeuta.

Você não sabe minha religião. E posso afirmar que nem sabe se eu tenho uma. Portanto não me enfie goela abaixo o seu santo de devoção. Vamos respeitar o santo.

Áudio o tempo todo – um horror – com mais de trinta segundos, então, impossível de escutar. Com duração maior que um minuto, é melhor telefonar.

As fotos de sua viagem de férias só interessam a você e por vezes aos seus familiares. Uma foto ou outra de um acontecimento bacana, até vai. Mas compartilhar todo seu roteiro, incluindo todas as suas refeições, não dá. Curta sua viagem sem se preocupar comigo. Pode acreditar, tô de boa. Me manda um postal (ainda existe?), já fico feliz.

O mesmo serve para fotos bizarras e vídeos de conteúdo duvidoso. Não envie. Me poupe.

Nudez nem pensar. Só envie se estiver preparado psicologicamente para o retorno.

Não sou curiosa. Não precisa me mostrar o que come e o que bebe diariamente através de fotos de pratos, copos, taças e drinks. Não me seduz. Me enjoa, fico imaginando sua digestão.

Não me deseje feliz dia das mães se não é meu filho, nem feliz dia do amigo se nem me cumprimenta, nem tampouco feliz páscoa, feliz dia do índio, feliz dia da bandeira, feliz dia de finados, etc... . Antes do whatsApp existir ninguém pensava nisso.

Se lembrar do meu aniversário, não me envie mensagem só para constar. Não precisa. Acredite. Se gostar mesmo de mim, me telefone, é mais carinhoso e gentil.

Entretanto se o fizer por whatsApp, faça-o uma vez só. Não reproduza a mensagem no face, instagram, messenger e demais mídias, eu já sei que você não esqueceu.

Não me mande coração vermelho e pulsante se realmente não me ama de paixão.

Não me pressione para responder rapidamente suas mensagens. Posso estar ocupada: dirigindo, no banheiro, no banco, na rua – enfim, impossibilitada de ler, preciso de óculos para tal. Ainda não encontraram um meio de plugar o celular direto no cérebro da pessoa, graças a Deus, segure sua ansiedade e espere, em caso de urgência – repito – telefone.

Não me mande mensagem fazendo consulta técnica sobre algo que perguntará também a outro ou executará a tarefa independentemente de minha resposta. Meu tempo é valioso, não me faça perdê-lo desnecessariamente com você. Meu mundo vai muito além das fronteiras de sua imaginação.

Não me faça perguntas profissionais complexas por whatsApp - não sou um oráculo – venha ao meu encontro – não lhe entregarei em três linhas o que levei trinta anos para aprender.

Se for usar uma resposta minha em uma conversa de grupo para ratificar uma opinião, não deixe que eu descubra que você printou a tela.

Use emojis com parcimônia – já passei dos cinquenta – vai que interpreto errado.

Caso saiba onde me encontrar não pergunte onde estou.

Não diga que não conseguiu falar comigo só porque não respondi sua mensagem – telefone.

Se não é membro da minha família não passe mensagem depois das 23h nem antes das 10h.

Se sua intenção é me seduzir ou agradar, não me dê “bom dia” ou “boa noite” sem ter nada mais a acrescentar. Isso acaba com o meu dia ... ou a minha noite. Ursinho, florzinha e coraçãozinho de boa noite me provocam pesadelos.

Se não curtiu bloqueia.

Imagem: elaborada pela autora


0 visualização

© 2017 Cristina Fürst. All Right Reserved.